Curso de Projetista de Sistema Solar Fotovoltaico Conectado à Rede – SFCR.

Está chegando a hora de começarmos o Curso de Projetista de Sistema Solar Fotovoltaico Conectado à Rede – SFCR.

Carga horária: 24 horas, com certificado emitido pela Universidade Anhanguera.

Data: 30/abr, 1/mai e 7/mai.
Horário: 8 às 12h (manhã) e 14 às 18h (tarde).
Local: Universidade Anhanguera Uniderp – Polo Palmas TO.
Quadra 802 Sul, Avenida LO 21, Lote 22, s/n – Plano Diretor Sul, Palmas – TO, 77023-004.
Faça a inscrição no link:  http://goo.gl/forms/xEG8cQ4slf

Confirmação de Inscrição: A confirmação da inscrição será mediante ao pagamento da inscrição.

Pagamento:
Pagamento pode ser feito na página do curso: https://palmasenergiasolar.wordpress.com/cursos/
Caso desejem fazer o pagamento em dinheiro, debito ou crédito à vista no local do curso, estaremos com a maquininha de cartão disponível. Quem for fazer o pagamento no local em dinheiro, debito ou crédito à vista, por gentileza informar o mais breve possível para reservar a vaga.

Teremos no local: Inversor, módulo solar fotovoltaico, estrutura de fixação, cabos para sistema solar e equipamentos de proteção. Haverá um momento do curso que será apresentado cada equipamento para os alunos.

Qualquer dúvida estaremos à disposição.

Curso de Projetista de Sistema Solar Fotovoltaico Conectado à Rede – SFCR

Visando atender à crescente demanda do mercado dentro de um segmento que ainda está se formando, mas que apresenta um enorme potencial de crescimento junto com a necessidade de formação de profissionais qualificados, desenvolvemos o Curso de Projetista de Sistema Solar Fotovoltaico conectado à rede.

# Público Alvo:
Profissionais da área solar, Instaladores, Eletricistas, Técnicos, Revendedores, Empreendedores, Empresários e demais interessados.

# Conteúdo
Teórico:
Energia Solar no Brasil e no mundo; Principais usos e aplicações; Módulos solar fotovoltaico: modelos e tecnologias; Inversores Grid Tie; Proteções do sistema; Demais componentes do sistema; Regulamentação e Normas Resolução ANEEL 482 / 687; Normas ABNT; Normas das Concessionárias, Dimensionamento de sistemas de Configurações diversas (1 ou mais MPPTs); Análise de impactos ocasionados por sombreamento com auxílio do software Solergo.

Elaboração de Projeto:

Projeto solar fotovoltaico residencial, comercial e consumidores do Grupo Tarifário A; Avaliar o custo da eletricidade local e a probabilidade de economia pela geração fotovoltaica; Determinar o tempo de retorno do investimento em três cenários: altamente favorável, conservador, altamente desfavorável; Avaliar, junto ao cliente, a viabilidade financeira do projeto, considerando a motivação para a instalação de um sistema fotovoltaico.

Carga horária: 24 horas, com certificado.

Data:  30/abr, 1/abr, 7/mai e 8/mai

Local: Universidade Anhanguera Uniderp – Polo Palmas TO.
Quadra 802 Sul, Avenida Ló 21, Lote 22, s/n – Plano Diretor Sul, Palmas – TO, 77023-004.

Instrutor:

Alcy Monteiro Júnior
# Técnico em Eletrotécnica e Tecnólogo em Sistemas Elétricos pelo Instituto Federal do Tocantins – IFTO;
# Mestre em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG;
# Pós-graduação em Gestão Pública;
# Atualmente é professor do curso de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Tocantins na área de Energia Solar Fotovoltaica;
# Desenvolve pesquisas na área de energia solar fotovoltaica e qualidade de energia elétrica;
# Atuação na elaboração de diversos projetos e montagens de sistemas solar fotovoltaico conectados à rede;
# Realização de estudos de qualidade de energia da Usina Solar Fotovoltaica da Usina Solar Fotovoltaica do Estádio Mineirão em Belo Horizonte – MG.

Faça a cadastro no link:  http://goo.gl/forms/xEG8cQ4slf

Pagamento:

O pagamento poderá ser realizado conforme especificidades abaixo:

  • R$ 330,00  – até 12 vezes, via PagSeguro (juros de 2,99% a partir da 4ª parcela)

Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

  • R$ 250,00 (apenas estudante) – até 12 vezes, via PagSeguro c/ juros de 2,99% a partir da 4ª parcela.

Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

  • R$ 315,00 –  crédito à vista via PagSeguro, sem juros

Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

  • R$ 300,00 – pagamento à vista (dinheiro ou transferência bancária)

Mútua financia primeiro benefício de Energia Renovável a associado de Tocantins

A Palmas Energia Solar foi a executora do sistema solar fotovoltaico com o benefício Energia Renovável a associado de Tocantins concedido pela  Mútua – Crea.

Veja na íntegra a matéria divulgada na página da Mútua.


O associado da Mútua-TO ao lado dos painéis solares, momentos antes da instalação em sua residência

O primeiro associado Mútua do país a utilizar o novo benefício Energia Renovável, o sócio da Mútua-TO, eng. eletricista Marcus André Pereira Oliveira, acaba de inaugurar em sua residência o fruto da concessão: um sistema fotovoltaico totalmente adquirido com o auxílio reembolsável da Mútua. São várias as vantagens da adoção de um sistema de energia solar. Recuperado o investimento inicial, quase não há gastos excedentes, pois a demanda de manutenção é mínima e o sistema não gera resíduos nem emite gases poluentes, o que contribui para a redução do aquecimento global e do efeito estufa.

Tendo recentemente finalizado doutorado em sistemas fotovoltaicos e trabalhando como professor no Instituto Federal de Tocantins (IFTO) – Campus Palmas -, o engenheiro é pesquisador na área de energias renováveis e não teve dificuldades em instalar os equipamentos com a ajuda de um colega. Mas caso o associado precise, com o benefício da Mútua também é possível pagar pela mão de obra para a instalação. “Para o meu sistema, eu mesmo fiz a instalação, com auxílio de um amigo que tem boa experiência em montagem de sistemas similares”, explicou o eng. eletricista. O associado salientou o bom atendimento a ele recebido pela equipe da Mútua-TO, que o orientou sobre documentação necessária e regras para esta nova modalidade de benefício.

De acordo com o relato de Marcus Rogério, com o apoio da Mútua e escolha correta de fornecedores e dos equipamentos, o processo foi rápido e descomplicado. “O projeto do sistema havia sido protocolado no mesmo dia na concessionária de energia (Energisa). Após o prazo combinado, o valor foi depositado na minha conta e imediatamente adquiri um “Kit” de uma empresa que importa painéis e possui fabricação própria do inversor PHB-4600, já homologado pelo Inmetro e autorizado pela Aneel”, exemplificou o associado, já usufruindo do novo sistema em sua residência.


Registro dos trabalhos de instalação do sistema

Benefício Energia Renovável

O Energia Renovável é um auxílio financeiro reembolsável destinado ao associado e seus dependentes para a aquisição ou substituição de tecnologias, equipamentos e serviços ligados a energias renováveis ou ecologicamente correta, seja em sua residência, empresas ou propriedades rurais. Os valores concedidos são de até 80 salários mínimos, com prazo para reembolso de até 36 meses e com taxa de juros a partir de 0,30% ao mês, acrescido do INPC dos últimos doze meses.


Projeto finalizado: agora é só desfrutar das vantagens financeiras e ambientais

Tenha mais informações sobre a linha de crédito Energia Renovável na página da Mútua (link).

Linha de Crédito Energia Renovável – Mútua Crea

A Mútua do Crea está com uma nova linha de crédito para Energia Renovável.

Finalidade
Auxílio financeiro reembolsável ao associado e/ou dependentes que necessitam de recursos financeiros para incentivar o desenvolvimento ao uso de energia renovável ou energias ecologicamente corretas com a aquisição ou substituição de tecnologias, equipamentos e serviços dessa natureza, seja em sua residência, empresas ou propriedades rurais.

Pré-Requisito

  • Ser associado há mais de um ano;
  • Estar em dia com a anuidade e reembolso de benefícios;
  • Possuir idoneidade cadastral;
  • Ter capacidade de pagamento.
  • Estar adimplente com a anuidade do Crea. (Mediante apresentação de certidão de regularidade)

Prazo de reembolso
Em até 36 meses.

Juros e correção
Sobre o saldo devedor do empréstimo, incidirá, mensalmente, a correção monetária calculada pelo INPC/IBGE médio dos últimos 12 meses, acrescida de juros de 0,30% a 0,40% ao mês, considerando o período de reembolso do benefício.

Obtenha mais informações no site da  Mútua/Crea.

A Palmas Energia Solar: “A Sustentabilidade a seu alcance”.

 

Geração solar distribuída amplia número de conexões em 2015

Em 2015, a geração distribuída alcançou resultados significativos. Em outubro passado eram 1.000 adesões de consumidores e, em dois meses, esse número chegou a 1.731 conexões. Isso representa uma potência instalada de 16,5 megawatts (MW).

A fonte mais utilizada pelos consumidores continua sendo a solar, com 1.675 adesões e 13,3 MW de potência instalada, seguida da eólica, com 33 instalações e 121 kW. Outra importante fonte renovável, a biomassa, tem 1 MW de potência instalada, com uma conexão registrada. Atualmente, o estado que possui mais micro e minigeradores é Minas Gerais, com 333 conexões. Seguem o Rio de Janeiro, com 203, e o Rio Grande do Sul, com 186.

Os gráficos  seguintes apresentam o número de conexões por fonte e a potência instalada em quilowatts (kW).

Os gráficos  seguistes apresentam o número de conexões por estado e o número de conexões acumuladas entre 2012 e 2015.

Em novembro de 2015, a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou aprimoramentos na Resolução Normativa nº 482/2012 que criou o Sistema de Compensação de Energia Elétrica e permite que o consumidor instale pequenos geradores, tais como painéis solares fotovoltaicos e microturbinas eólicas. Quando as mudanças entrarem em vigor, em março de 2016, será permitido o uso de qualquer fonte renovável (solar, eólica, biomassa, hídrica e outras que sejam dessenvolvidas), além da cogeração qualificada.

O cenário atual apresenta um crescimento significativo da geração distribuída. Em 2012 eram apenas três conexões no território nacional e, hoje, 1.731 consumidores produzem energia em suas instalações. Os dados mostram também que entre as classes de consumo, a residencial é expressivamente mais utilizada, conforme o gráfico acima.

A geração de energia elétrica perto do local de consumo traz uma série de vantagens sobre a geração centralizada tradicional, tais como economia dos investimentos em transmissão, redução das perdas nas redes e melhoria da qualidade do serviço de energia elétrica. A expansão da geração distribuída beneficiam o consumidor-gerador, a economia do país e os demais consumidores, pois esses benefícios se estendem a todo o sistema elétrico.

Fonte: Matéria extraída da Agência Nacional de Energia Elétrica. Veja matéria na integra

Comissão do Senado aprova projeto que incentiva aquecimento solar

O Projeto de Lei 5733/09 do Senado, que torna obrigatório o uso prioritário de energias alternativas nos sistemas de aquecimento de água em edifícios construídos com recursos do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), foi aprovado na manhã desta quarta-feira, 06, pela Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara dos Deputados em Brasília. O projeto, que tramita em caráter conclusivo, já foi aprovado pela Comissão de Minas e Energia e será analisado ainda pelas comissões de Finanças e Tributação, de Constituição e Justiça e de Cidadania.    

Leia mais >

Panorama da Energia Solar Fotovoltaica em 2015

Desde o início de 2015, o Ministério de Minas e Energia empreendeu diversas iniciativas que resultaram em ações de órgãos do Poder Executivo, dos estados e do órgão regulador. Tais iniciativas, criaram as bases que permitem a criação do Programa de Desenvolvimento da Geração Distribuída de Energia Elétrica (ProGD), para estimular os consumidores a se tornarem geradores de energia e reduzirem gastos com a eletricidade.

Veja o que foi destaque em 2015:

Regulação

A ANEEL conduziu a revisão da Resolução Normativa n° 482, (agora REN 687/2015) . As alterações começam a valer a partir de março de 2016 e ampliam as possibilidades da micro e minigeração distribuída.

  • Será permitido uma “cooperativa solar” apenas se quem estiver utilizando a energia for também proprietário de uma parte do sistema, como em condomínios;
  • Será também permitida a instalação longe do consumo (mesma área de concessão) inclusive para as cooperativas solar. Quando for longe do consumo, a tarifa para a geração é a mesma se fosse junto ao consumo: TUSD + TE;
  • Microgeração: até 75 kW.  Minigeração: até 5 MW para fotovoltaica;
  • Custos de adequação da rede de distribuição para conexão de microgeradores: são sempre da concessionária;
  • Prazo de validade dos créditos: 60 meses, ao invés de 36 meses;
  • Sistemas de potência reduzida: agora será até 10 kW;
  • Utilização de dois medidores, um para consumo e outro para geração: necessário em caso de cooperativas solares;

      Prazos:

  • Prazo para avaliação do projeto pela concessionária: 15 dias em qualquer caso (antes 30 dias);
  • Prazo para vistoria após solicitação: 7 dias
  • Prazo para relatório de vistoria: 5 dias
  • Prazo para aprovar ponto de conexão: 7 dias
  • Total: redução de 82 dias para 34 dias no caso de microgeração.

A ANEEL também estabeleceu um regulamento específico para emissão de outorgas de centrais geradoras fotovoltaicas através da REN 676;

Foi criado um Valor Anual de Referência Específico (VRES) para a contratação da geração distribuída a partir de Chamas Públicas das Distribuidoras (modelo definido no Decreto 5.163). Caberá à EPE calcular e definir as condições para aplicação desse novo valor;

Foram definidos os valores de R$ 454/MWh para fotovoltaica e R$ 329/MWh para cogeração qualificada;

Os descontos de TUSD e TUST para fonte solar, eólica, biomassa e cogeração qualificada passaram a ser válidos para projetos de até 300 MW;

Tributação

  • O CONFAZ, através do Ajuste SINIEF 2, revogou o Convênio que orientava a tributação da energia injetada na rede. Cada estado passou a decidir se tributa ou não a energia injetada. Até o momento, os seguintes estados aderiram: SP, PE, GOCE, TORNMT, BA, DF, MARJMG (por cinco anos);
  • O Governo Federal, através da Lei n° 13.169, isentou o PIS e COFINS a energia injetada na rede;
  •   Foi reduzida a alíquota do Imposto de Importação(II) incidente sobre bens de capital destinados à produção de equipamentos de geração solar fotovoltaica até 3 de junho de 2016. A alíquota de 14% passou para 2%

.Projeto Palmas Solar 

 Para estimular a sociedade palmense a adotar a energia solar, o Palmas Solar estabelece uma série de incentivos, sendo:

  • Desconto de até 80% do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), proporcional ao índice de aproveitamento de energia solar. O prazo do incentivo descrito no caput fica limitado em até cinco anos.
  •    Desconto de 80% do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN), incidente sobre: I – os projetos, as obras e instalações destinadas à fabricação, comercialização e distribuição de componentes para os sistemas de energia solar; II – os serviços de instalação, operação e manutenção dos sistemas de energia solar, pelo prazo de até 10 anos.
  • Desconto de até 80% do Imposto de Transferência de Bens Imóveis (ITBI), proporcional ao índice de aproveitamento de energia solar.
  •     Toda edificação preexistente que se adequar à geração fotovoltaica de acordo com o estabelecido nas resoluções da ANEEL e/ou for equipada com sistema de aquecimento de água por energia solar e comprovar seu índice de aproveitamento de energia solar terá direito aos benefícios citados anteriormente;
  • O Projeto de Lei completo pode ser conferido aqui.

Mercado

Indústria

Financiamento

Programa Federal

  • Em dezembro foi lançado pelo MME o Programa de Desenvolvimento da Geração Distribuída de Energia Elétrica(ProGD). Na prática, o ProGD trouxe as especificações do VRES e criará um Grupo de Trabalho (GT) para acompanhar ações e propor aprimoramentos legais, regulatórios e tributários de estímulo à Geração Distribuída (expansão de linhas de crédito, incentivo à indústria e capacitação de mão de obra). Além disso, ficou definido na Portaria que o GT deve estudar um mecanismo para comercialização da geração distribuída no ACL.

A Palmas Energia Solar tem diversos sistemas para atender a sua nescidade. Veja alguns dos nossos sistemas disponíveis:Link .